Minha história de vida

Atualizado: 12 de Abr de 2018



Diferente do que muitos que já me conhecem pensam, encontrar o meu propósito de vida foi dolorido e demorado. Desde pequena tive problemas com a balança, insegurança, não me destacava em nenhuma matéria ou atividade... E isso refletiu em diversos fatores da minha vida adulta como baixa autoestima, falta de concentração, crise de ansiedade, síndrome do pânico, falta de amor próprio, pouca energia vital e compulsão alimentar.

Essa introdução não é para eu me vitimizar, mas sim para mostrar que quem eu sou hoje não caiu do céu, e sim consequência de muita paciência e dedicação ao meu processo. Aos 18 anos não fazia ideia de qual curso prestar, sempre pensei em veterinária, mas na hora de realmente decidir fui por onde tinha facilidade: arte sem números que abrange muitas áreas e pode me dar dinheiro, ou seja, Publicidade. No fim me ferrei, pois em publicidade se faz conta também. Logo de inicio comecei a trabalhar com Marketing e me apaixonei! Fui morar sozinha e tinha muitas metas de me tornar diretora de arte em uma multinacional e ter o sucesso que financeiro que tantos almejam.


Ao mesmo tempo namorava a distância com meu atual marido, ele nos Estados Unidos e eu em São Paulo. Pra compensar a saudade dele, o cansaço do trabalho e o desânimo na faculdade, "aproveitava" o fim de semana. Saia de duas a três vezes na semana, bebia até não lembrar meu nome e chegava em casa para comer coisas altamente "nutritivas" como miojo com salsicha. Essa foi minha rotina por anos! Meu único objetivo era ganhar mais e mais dinheiro, me livrar logo da faculdade e ter férias para visitar meu namorado.


Até que um dia a vida me acordou, ou pelo menos tentou... Me vi internada no hospital com uma úlcera intestinal. Culpa de quem? Bebida ou miojo? Os dois somados a infelicidade e stress. Foi ai que parei refletir no que estava fazendo com a minha vida, os anos passavam e eu sempre sentia uma falta, uma angústia, um vazio no peito que era falsamente completado nos fins de semana. Eu era feliz, sempre amei minha família e amigos, mas algo naquele padrão de vida começou a me consumir e incomodar. Foi a partir dai que eu decidi que não queria mais viver anestesiada de falsas sensações e sim buscar um preenchimento real.


Vendi tudo, larguei emprego, fiz as malas e fui para Londres. Passei um semestre apenas estudando inglês e sem grandes planos... Tive outro insight! Descobri que tinha muito mais para mim fora do Brasil, que por mais que eu amasse meu país as vezes eu não me sentia pertencente ao estilo de vida que me era proporcionado. Mas também Londres não era esse lugar, ele só me deu a perspectiva de que tinha muito mais para ser vivido e explorado. Me mantive trabalhando de garçonete e staff de casamentos, e pela primeira vez gostei de algo diferente: realizar sonhos.


Voltei para o Brasil e comecei tudo de novo, apartamento, carro e o emprego dos meus "sonhos". Comecei a trabalhar com produção de evento e me apaixonei! Resolvi ser produtora e viver realizando os sonhos de outras pessoas como casar, fazer uma festa de debutante ou renovar votos de 50 anos de união! Um ano depois comecei a sentir novamente crises existenciais, ainda não vivia minha verdade e algo dentro de mim tinha sede por mais. Foi nesse momento que eu e meu marido resolvemos acabar com a distância e encontrar algum lugar para iniciarmos nossa vida a dois. Foi ai então que surgiu a ideia de nos arriscar e tentar o tão desejado sonho americano. Novamente largamos tudo, apartamento, carro, coisas... Colocamos tudo em duas malas e embarcamos para os Estados Unidos.


Me vi mais perdida do que nunca! Sem visto, trabalho, propósito, dinheiro... A única coisa que fazia sentido e segurava minha base era meu relacionamento, que eu tanto desejei ter por perto e havia se tornado realidade. Fiquei cerca de um ano como barata tonta até a primeira vez que ouvi falar em coaching. Não fazia idéia do que era mas me apaixonei pelos temas e mergulhei de cabeça. Era uma época que eu já prezava por um estilo de vida mais saudável, mas confesso que era muito mais por estética do que saúde em si. Minha primeira formação foi então como Health Coach (coach de saúde), onde eu aprendi que tudo está conectado, de que nada adianta comer bem e fazer atividade física se o sono, relacionamento, trabalho, mente e emocional estão ruins.



Conquistei minhas primeiras clientes, casei, tirei meu visto e comecei a viver com amor e propósito! Finalmente tinha me encontrado e estava empolgada com o rumo que minha vida estava tomando. Nossos documentos para morar nos EUA já estavam alinhados depois de um enorme processo burocrático e tudo fluia. Até que tomei uma outra rasteira, meu primeiro advogado de imigração esqueceu de um detalhe (muito importante) no nosso processo, o que me fez em uma semana ter que empacotar toda minha vida e voltar para o Brasil.


Essa foi uma das piores fases, realmente foi um enorme balde de água fria! Pela primeira vez estava indo para um lugar sem querer ir, minha vida já não era mais no Brasil, eu sentia e sabia disso, mas não podia fazer nada! Me senti impotente e frágil. O lado bom era que eu já atendia online, o que me facilitou continuar trabalhando com o que eu gostava. Mas devido ao grande nível de stress e desgaste emocional, tive nada mais nada menos do que síndrome do pânico. Parei em três hospitais com a certeza de que iria morrer. Fiz dezenas de exames até constatar que era ansiedade, é pois é, uma health coach com desequilíbrios emocionais.


Foi ai que cheguei no fim do poço, achava que aquelas crises não passariam, tive despersonalização, medo de sair de casa, e o conflito de começar ou não um tratamento com remédios. Todos os psiquiatras, psicólogos e médicos me disseram que eu só melhoraria se tomasse ansiolíticos, porém algo dentro de mim gritava dizendo que esse não era o caminho e que tinha um "porquê" para tudo aquilo estar acontecendo, sem falar que eu já estudava nutrição holística e já sabia por A mais B que de nada adianta disfarçar um sintoma se a causa raiz não for curada. Enfim, confiei na minha intuição, fui contra todos os médicos e descobri as terapias alternativas. Simplesmente me joguei novamente, consumia esse conteúdo 24h por dia até encontrar algo que me curasse de maneira natural.


Fiz todos os cursos e terapias naturais que você pode imaginar! Reiki, floral, thetahealing, mesa quântica, radiestesia, cristais... Meditei diariamente, escutei mantras, palestras motivacionais, me alimentei bem, intensifiquei atividade física e tive paciência com o processo. Além de me curar sem nunca ter tomado nenhum remédio, descobri que o equilíbrio ia além do corpo, mente e emoções. Ele englobava nosso campo energético e espiritual! E com mais esse despertar me especializei nas áreas que mais tive ressonância e agreguei isso aos meus atendimentos.

Foi ai então que tudo fluiu! Green card aprovado, agenda cheia de clientes e uma saúde sem igual. Desde então tudo ficou mais leve pois além de encontrar a minha verdade, eu descobri o potencial que havia dentro de mim. E hoje essa é a minha missão! Trabalhar continuamente meu autoconhecimento e levar isso para o maior número de pessoas possíveis. Por isso que além do coaching e mentoria individual, crio conteúdo motivacional gratuito nas minhas mídias sociais. Além de terapeuta, me considero uma inspiradora digital e um ser humano desperto.

Se você tem interesse em despertar também e descobrir seu maior potencial entre em contato comigo, será um imenso prazer te auxiliar nessa caminho de auto realização, cura e despertar.


Com amor,


Gabi


Coach & Terapeuta de Autoconhecimento

coach@gabrielastapff.com


#minhahistoria #gabrielastapff #coachgabi #coach #coaching #terapeutaholistica

  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle