É possível julgar e comparar de forma consciente?

Atualizado: há 2 dias



O julgamento e a comparação são energias necessárias para a nossa existência aqui na Terra.


Somos biologicamente programados para vivermos em sociedade e pensarmos em outros indivíduos, por isso temos uma inclinação natural para julgarmos e nos compararmos com os outros, ou seja, isso é intrínseco na nossa natureza humana.


Usamos o julgamento para termos opinião sobre algo ou alguma coisa. Utilizamos para comparar, classificar, escolher ou descartar o tempo todo. Por exemplo: escolher o sapato mais confortável, decidir jogar um objeto velho fora, ou comer uma fruta madura ao invés de uma passada.


Já a comparação, é usada no dia a dia para encontrarmos semelhanças ou diferenças entre duas coisas. Dessa forma, podemos ativar o nosso discernimento e ter mais clareza sobre o que faz sentido para o momento atual.


Percebe como são ações neutras e necessárias na nossa jornada?


O problema é que com a vida moderna e o excesso de redes sociais, onde temos acesso a milhares de vidas diferentes - junto com a falta do desenvolvimento de consciência - estamos nos destruindo emocionalmente e usando tais energias de forma exacerbada.


Assim como outras ferramentas humanas disponíveis, as capacidades de julgar e comparar também podem ser mal utilizadas se não usadas com consciência.

Talvez você ainda esteja confuso se deve ou não julgar e comparar coisas e pessoas, afinal sempre ouvimos que essas ações são prejudiciais para o nosso desenvolvimento pessoal e espiritual. Por isso, continue a leitura...


Lembre-se que, toda energia possui dois extremos complementares, e encontrar a virtude dessas energias, ou seja, o ponto central e harmonioso delas, é o vai nos permitir julgar e comparar com consciência.


Comparação distorcida x consciente


Comparação distorcida - com a nossa versão antiga, com pessoas que não conhecemos de fato, com momentos diferentes e comparar aparência com essência.


Gera: sensação de inferioridade, inveja, vaidade, incapacidade, frustração e angústia.


Comparação consciente - nos comparar conosco mesmo avaliando melhoras e pioras, da realidade de fatos concretos, modelar pessoas que admiramos e situações que nos inspiram.


Gera: clareza, motivação e liberdade.


Julgamento inconsciente x consciente


Julgamento inconsciente - quando nos vemos separados do outro, rotulamos a superfície sem acesso à totalidade de algo, fofocar e criticar a vida alheia, hipocrisia de ser o julgador do outro e não de si mesmo, ter preconceito e críticas destrutivas.


Gera: medo de ser julgado, culpa, densidade e tristeza.


Julgamento consciente - discernimento perante a realidade, julgamento divino através de leis universais, julgar a si mesmo com compaixão para melhorar, diferenciar o certo e o errado através da verdade e não de opiniões pessoais.


Gera: paz de espírito, leveza e tranquilidade.


Quando utilizamos o julgamento e a comparação de forma consciente, não só nos libertamos da má interpretação dessas energias, como também potencializamos ainda mais o nosso autoconhecimento e expansão de consciência, discernindo o que faz sentido ou não para a nossa jornada.


Se você deseja virar essa chave dentro de você, se julgar e comparar menos de forma distorcida e ter mais discernimento na vida, assista a Aula 093 • A energia do julgamento e da comparação, disponível para alunos do Portal Despertando.


Ela está disponível dentro do módulo 3 > Biblioteca do Despertar. Para assistir, clique aqui.


__________________________________________________________________________________


Caso você ainda não seja assinante da nossa escola, basta se inscrever por 7 dias grátis aqui: Portal Despertando e ver se a nossa escola ressoa com o seu momento atual.


__________________________________________________________________________________


VIDEOS COMPLEMENTARES:


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo